Escrito por Priscilla

Aplicativo é opção para economizar na compra de moeda estrangeira

Não sei vocês mas eu não consigo mais imaginar minha vida sem aplicativos. Uso vários e para várias coisas.

Uma pena que só prestei atenção nesse aplicativo depois que voltei das férias. Por isso vou dividir a dica aqui.

Trata-se do aplicativo GoMoney, destinado principalmente aos viajantes que querem usar a tecnologia para comprar e vender moedas, negociando seu próprio valor ao trocar dinheiro, sem burocracia e com economia.

Entre os diferenciais de mercado, o GoMoney oferece, além de câmbio, a possibilidade do usuário comprar ou vender ouro, prata e bitcoin, alternativas que devem ampliar bastante o público do app.

“Queríamos oferecer mais opções para os usuários além de câmbio, e sabemos que assim atraíremos um público maior ainda, pois será possível vender aquelas joias que você tem guardadas e conseguir um extra ou, ainda, fazer a transação com a moeda virtual que ganha cada vez mais espaço no mundo”, explica Maurício Pires, CEO da empresa e administrador com extensão em Stanford e passagem na carreira pela área de segurança da informação.

Ele explica que, desde dezembro de 2015, o app já rodava no Brasil. “Mas decidimos investir em melhorias e agora ele ressurge com importantes diferenciais”, afirma, ressaltando a importância das startups de economia criativa no contexto atual.

Inspirado no AirBNB, a ideia para o GoMoney foi criar uma alternativa mais democrática e acessível no mercado de câmbio, que pode ser acessada via Web (através de desktop ou celular) e também como aplicativo.

O GoMoney está disponível para aparelhos Android na Google Store desde o fim do ano passado e também pode ser instalado em iPhones, através do formato Webapp. Maurício explica que, dessa forma, podem garantir que o usuário tenha acesso gratuito ao app em todo o processo de sua utilização, o que vai de encontro ao objetivo do GoMoney, que é fornecer uma experiência isenta de cobrança.

A segurança do usuário é uma preocupação. Um diferencial fundamental é o GoMoney não geolocalizar de forma precisa quem está oferecendo a moeda para vender. O interessado vê um raio de localização no qual a pessoa se encontra e os dois, via chat, marcam um encontro, de preferência em local público, para realizar a transação. O aplicativo também conta com um sistema de avaliação entre usuários que classificam em um ranking os melhores contatos com quem fizeram negócio, um pouco como acontece no Mercado Livre.

Outro ponto é o fato de o GoMoney cruzar os contatos do Facebook do usuário para ele ter uma noção da procedência e saber se a pessoa é razoavelmente confiável, característica do Tinder e de outros apps de encontros. “Também damos dicas de segurança no site, no app e na Fan Page”, ressalta o CEO.

No caso do câmbio, foco principal do GoMoney, os usuários combinam entre si, no espaço reservado para o bate-papo, os valores pelos quais vão comprar e vender suas moedas. O aplicativo oferece uma tabela com as cotações de cada divisa para ser utilizada como base, mas o preço final é sempre decidido na hora da negociação. Essa autonomia, explica Maurício, permite que as pessoas encontrem sempre o melhor valor pela moeda e possam economizar de forma significativa, comparando com o que conseguiriam se fossem a um operador do mercado. Quem quiser comprar ou vender ouro ou prata poderá escolher a opção por valor financeiro ou por peso. Os detalhes são negociados através do chat entre os usuários.

“Com o dinheiro que você economiza com o GoMoney, você pode pagar para saltar de um prédio em Las Vegas, por exemplo”, brinca o CEO, que reforça o perfil do aplicativo de ajudar o usuário a obter o melhor valor pela transação e usar a economia feita para aproveitar melhor a vida com experiências transformadoras.

“Depois de uma noite muito divertida no México, eu subi num ônibus para voltar para o hotel e me dei conta de que não tinha trocado, um dólar exatamente, para pagar a passagem. Teria que desembolsar cinco dólares porque o motorista afirmava não ter troco. Um passageiro se levantou do nada e me ofereceu o dinheiro contado para seguir viagem. ‘Como eu vou te devolver?’, perguntei. ‘Não esquenta. Faz alguma coisa boa por alguém também’. E assim nasceu o GoMoney”.

 

 

  1. Avaliação geral:

Deixe seu comentário

Enviar