Escrito por Priscilla

Em Vegas, fuja do Circus Circus

Lá vou eu começar o ano metendo o pau em um serviço. Faz parte da vida, né? Bom, vamos lá:

No final do ano passado estive em Las Vegas a trabalho. Como queria ver o show da Cher (vai render outro post, juro), cheguei um dia antes e fiquei na cidade por minha conta.

Desde a primeira vez que eu fui para lá (em 2007 ), quando fico em Vegas por minha conta sempre me hospedo no Stratosphere.  O hotel não é lá essas coisas, mas é baratin e eu já conheço bem. E me sinto segura lá (dependendo do quarto, of course)

Well, só para gerar conteúdo para o blog eu resolvi ficar um dia em outro hotel. Escolhi o Circus Circus que também fica um cadinho mais distante da Strip e o preço tava bom.

Ahhh mas se arrependimento matasse…

Começa que o hotel já cheira a coisa decadente, mofo mesmo. Disfarçado, mas era mofo sim. Imperdoável.

Eu cheguei, tava com fome e fui procurar um lugar para comer alguma proteína. Parei no puxadinho gourmet do Vince Neil. Quer coisa mais decadente que ele? Não sabe quem é? Espia aqui.

E just for the record: a comida tava bem marromeno.

Eu fiz vários stories no IG, mas não salvei nenhum (nao me julguem que eu sei que vocês também fazem isso). Fiz para mostrar que o Circus Circus tem um parque de diversões interno. Não como o do Stratosphere. São brinquedos mais simples, mas quem vai para Vegas com criança (nao façam isso, plis) tem essa opção para distrair os pequenos.

O meu quarto até que era grande. E essa foi a única qualidade. Tive sorte de não ter bed bugs na minha cama. Se tivesse eu saberia porque sou o ser mais alérgico do mundo.

O banheiro era simprão. Tinha uma daquelas banheiras que mais parecem um tanquinho de motel barato, sabe? Eu morro de nojo! As toalhas super finas e curtas. Ai que saudades do meu roupão felpudão do The Venetian (rs).

Mas calma que fica pior!

Ficar em um hotel decadente e barato faz você saber que o conforto e higiene não é lá essa coisa toda. Então você apela para seu espírito de aventura e lembra que só vai ser por um dia.

Mas o que não dá para aguentar é falta de segurança.

O hotel não tem nenhum sistema para barrar as pessoas que acessam os quartos. NENHUM.

Por duas vezes, ao pegar o elevador com gente estranha indo para festa esquisita eu mudei o andar. Duas vezes em um dia. É muita coisa.

Na porta do meu quarto encontrei folhetos e mais folhetos de tudo o que é propaganda. Desde pizza até prostituição. Não vou ser ingenua aqui. Sabemos bem que Vegas is about that. Mas folheto na porta do meu quarto me fez sentir na margem da margem da cidade.

Mas quer saber? Gostei da experiência, embora eu não vá repetir. É sempre bom que a gente viva uma coisa antes de falar mal. Né, não?

 

  1. Avaliação geral:

Deixe seu comentário

Enviar