Escrito por Priscilla

Porque você tem que conhecer o Frei Papinhas em Lisboa

Eu tenho um pequeno defeito: quando viajo faço questão de comer bem. Mesmo sabendo que comer bem muitas vezes custa uma parte significativa do orçamento da viagem.

Foi andando pelas ruas próximas ao Castelo São Jorge em uma noite na semana de festas dos Santos Populares que achamos o restaurante Frei Papinhas. Achei o nome engraçado uma vez que minha filha de 2 anos, a Coty, se recusou a comer durante toda a viagem e só não morreu de fome graças as papinhas de frutas que comprávamos no mercado. Vida de mãe que viaja, né?

Geralmente nosso critério para sentar em um restaurante é avaliar as opções do menu e se o preço não é estratosférico.

Nos acomodamos e a Coty deu o ar da graça ao puxar o papel que cobria a mesa e quase levar todas as louças para o chão. O atendente me disse para não ficar preocupada porque ele também tinha criança em casa e sabe como é. Gostei muito da postura dele.

E, claro, tirei tudo o que oferecesse risco de perto da Coty e deixei ela bem distraída com o tablet. Era nossa última noite em Lisboa e queríamos um jantar agradável.

Olha a cara de sapeca da Coty depois de ter aprontado.

O Frei Papinhas não é nem tão pequeno que não pode-se movimentar, nem tão grande que você se perca. Na verdade ele tá mais para o pequeno e aconchegante.

A especialidade do restaurante é comida portuguesa. Eu AMO comida mediterrânea então frequentei todos os restaurantes típicos de Portugal e Espanha que eu pude nessa viagem.  O Frei Papinhas não nos decepcionou.

O Helton (meu marido) pediu uma dourada com batatas assadas e salada. Antes do pedido ele se certificou qual era o melhor peixe do dia e gostou da sinceridade do atendente que foi direto ao apontar este peixe justificando que a dourada estava mais fresca que o robalo e que era um peixe melhor para comer por ter menos espinhas.

De acordo com o Helton este foi o melhor peixe que ele comeu na viagem toda.

Eu optei por um polvo. Aliás, comi tanto polvo nessa viagem que não estranharia se nascessem uns tentáculos em mim 😛

Eu amo polvo! E o meu estava tão bom que lamentei não ter conseguido comer ele inteiro. Veio acompanhado de batatas ao murro. Recomendo ignorar a foto abaixo se você estiver com fome.

Aliás minha paixão por polvo é tão grande que ainda pedi uma saladinha de polvo de entrada. Me julguem.

salada de polvo de entrada


Ficou com água na boca, reserve agora



Booking.com

Eu também pedi o vinho da casa. Olha, eu não entendo nada de vinho mas achei esse tão agradável que tomei 3/4 da garrafa sozinha. E não tive dor de cabeça no dia seguinte, o que é uma grande vitória 🙂

Não pedimos sobremesa. Seria muito cinismo uma vez que estávamos com vários doces no lugar onde nos hospedamos. Pedi café. A conta deu 44 euros (o vinho encareceu, mas tem certos gastos que valem a pena).

Mas tava delícia! olha eu aí saboreando o vinho da casa. Quando eu voltar à Lisboa, certamente vou visitar esse restaurante e pedir esse polvo (e o vinho)

Para finalizar, achei super charmoso esse detalhe do bonde no banheiro feminino. Pode parecer bobeira mas um local que tem o mínimo de capricho com o banheiro deve fazer muito mais pela sua cozinha.

Serviço:

Endereço: Rua de São Tomé, 13 , São Vicente de Fora, Lisboa, Lisboa

Fone: +351 21 886 6471

Não fiz reserva. Cheguei e sentei. Mas recomendo que você dê uma ligadinha antes.

Para ler mais posts que já escrevi sobre Lisboa, clique aqui.

  1. Avaliação geral:

Deixe seu comentário

Enviar